Notas velhas de dólar ainda valem? Veja como trocar e onde é possível usar.

Autor: Ricardo Marchesan

Quem tem notas antigas de dólar guardadas na gaveta ou herdadas de parentes pode querer trocá-las para levantar um dinheiro, principalmente quando a moeda norte-americana fica mais cara.

Pode ser difícil encontrar um lugar no Brasil que aceite cédulas velhas, ainda que elas não tenham perdido o valor. Uma opção é trocá-las em viagem aos EUA. Confira o que fazer.

Notas antigas ainda valem Juvenal Santos, superintendente de varejo do Grupo Travelex Confidence, destaca que notas antigas de dólar não perderam a validade. O governo americano não as tirou de circulação, e elas ainda podem ser usadas. Ao longo dos anos, elas foram modificadas, principalmente ganhando atributos de segurança. No caso da nota de US$ 100, por exemplo, a versão atual começou a ser impressa em 2013, mas ainda é comum encontrar as anteriores. Circulou, inclusive, um boato de que as demais notas perderiam a validade neste ano. Isso, porém, não é verdade.

Trocar em corretoras

No Brasil, trocar notas antigas de dólar pode não ser tão fácil. Juvenal Santos afirma que nem toda corretora aceita trocá-las por aqui, ainda que elas sejam válidas. Isso porque as casas de câmbio também podem ter dificuldade de passá-las para frente depois, já que os próprios clientes, na hora de comprar dólares, preferem notas novas e em perfeitas condições. Algumas corretoras maiores, porém, fazem a troca, principalmente em grandes centros, como São Paulo, segundo Santos. Isso porque elas costumam exportar dólares, não vendendo apenas para clientes locais, e têm menos dificuldade para usá-las nas transações.

Em viagem 

Outra opção é guardá-las para usar em viagens aos EUA. Por lá, provavelmente não haverá problemas para usá-las na hora das compras, segundo Santos, principalmente em locais muito turísticos, como Orlando e Miami, por exemplo. São cidades onde o comércio está acostumado a receber dólares de pessoas de várias partes do mundo. Em algumas outras cidades, que não sejam tão turísticas, talvez encontre um ou outro vendedor mais jovem, que tenha maior dificuldade de reconhecer a nota e verificar os atributos de segurança para garantir que seja verdadeira, afirma. Já em outros países, como nos europeus, dificilmente dólares mais antigos serão aceitos. "Fora dos EUA [os locais de câmbio] não terão tantos recursos para saber se a nota é válida ou não, então preferem evitar", diz.

 

Continuar lendo...

Fonte: UOL Economia